Sem você meu amor eu não sou ninguém

foto meramente ilustrativa
Comecei o dia ouvindo uma história sobre um condomínio próximo ao meu. Um casal que mudou recentemente briga muito. Aparentemente ele a espanca sempre. Ontem, parece que a briga estava muito feia a ponto de incomodar vizinhos de andares próximos! Alguém ligou para a polícia com medo de que ele a matasse.

 A polícia veio e depois, quem me contou ficou sabendo através dos porteiros o desenlace dos fatos: Ela simplesmente negou que tivesse apanhado, oculta embaixo de lençóis, disse que ia dormir e que ali ninguém havia brigado. Sem ter o que fazer, a polícia se foi.

 Não conheço quem denunciou mais imagino sua cara depois disso. Imagino também que nas próximas surras, se uma for maior que outra e culminar na morte dessa mulher, o quanto será lamentável para todos, mas na cabeça de quem denunciou haverá certo consolo, ele, ou ela, pelo menos tentou.

 Imediatamente lembrei-me da música Samba em Prelúdio de Baden Powell e Vinícius de Moraes  especialmente essa parte: “Sem você meu amor eu não sou ninguém”. Muita gente acata como verdade e vai além: Eu te amo então você pode me bater, morder, chutar, matar…

 O que esta e outras mulheres não sabem é que NÃO são amadas! Nunca foram e jamais serão (não por essa pessoa que a maltrata) e do alto dos meus 61 anos, garanto com todas as letras. Quem ama CUIDA, não bate nem mata. E quem ama seu algoz, não é ninguém de forma alguma, nem com ele, nem sem ele. Não tem alto estima não se gosta, não é grata, ou grato, pela vida que ganhou e a oportunidade de estar aqui, neste mundo. Julga-se uma porcaria e age como tal.

 Tenho pena, e mais pena ainda por não poder fazer nada, porque alguém nestas condições impede a aproximação de quem quer que seja por medo de que esta pessoa tente separá-la do seu “incondicional amor”… Repito sempre, em meus cursos, palestras ou pelas minhas matérias: Se ame! Se ame! Quando você se ama, ama o outro, um amor bonito, leve, gostoso. Não se torna capacho, consegue se proteger contra coisas assim.

 E se você se identificou nesta situação: Saia. É difícil? Duvido que seja mais difícil do que continuar. Perca as esperanças de mudança, alguém que age assim, quase nunca muda, e você está disposta a morrer por esse “quase”? Pense nisso. Curta a música que é um poema lindíssimo, mas não pegue o refrão citado e o transforme em sua vida, você certamente merece mais que isso!

Contra a violência, em todas as suas formas!

 Regina Racco
Anúncios