Blá blá blá do sexo

 
imagens sem publicação
Blá blá blá do sexo
O assunto sexo é talvez o mais discutido no mundo todo. E entre esse blá blá blá, todo, verdades e criações sem fundamento, trafegam em alta velocidade, animando ou assombrando quem escuta e que trata de passar logo adiante!
Assim, o sexo está cercado por inverdades que ao longo do tempo fez sofrer a quem acreditou e estou falando de quase todos, homens e mulheres. Ouvi muitas mulheres reclamando por retirar o útero. Segundo elas, ficariam impossibilitadas para o sexo. Eu era mocinha e esse assunto rondava a mesa onde as mulheres da família se reuniam. Cresci achando que havia algum fundo de verdade nisso o que não há. O que me espanta é que ainda hoje, algumas mulheres ainda pensam assim! A cirurgia de remoção de útero e ovários não implica na extinção da libido, até pelo contrário, muitas mulheres que sofrem com dores e incômodos, por exemplo, tende a ter uma vida sexual mais prazerosa depois da intervenção.
Para os homens também nunca foi fácil. O fantasma do tamanho do pênis sempre o assombrou, preocupação desde a infância, além é claro, do pavor de falhar na hora H.
Tamanho não é e nem nunca foi documento e nem prova de competência quando o assunto é a dimensão do órgão masculino e isso interessa a eles (os proprietários) e as mulheres (as usuárias) e falhar é comum e pode acontecer a qualquer um em qualquer momento, fruto de um dia cansativo, ansiedade etc…
Em relação a tamanho, o pênis do brasileiro, por exemplo, fica em torno de 12 a14 centímetros. Acontece que a profundidade do canal vaginal também fica em torno de 9 a 14 cm ou até maior sob excitação o que se mostra totalmente apropriado. Mulher precisa ser estimulada para que a vagina se intumesça (com maior aporte sanguíneo) e aumente o tamanho, o que não é diferente do que acontece na ereção, a natureza é sábia e perfeita, não há porque se preocupar.
Claro que existem situações, onde o tamanho do pênis requer cuidados. Um pênis pode ser considerado pequeno quando medir abaixo de 6 cm (ereto), e neste caso, vale procurar um médico e discutir as chances de reverter o problema (porque elas existem). Assim como uma mulher que não consegue permitir a penetração, deve procurar o médico porque pode sofrer de vaginismo (incapacidade de relaxar), o que inviabiliza a relação sexual plena.
Enfim, o que não se pode é achar que a exceção é a regra, porque existem homens que medem mais e mulheres com o tamanho de canal maior. Sexo de boa qualidade não é e nem nunca foi restrito a tamanho de órgãos sexuais e sim ao carinho, atenção, boas preliminares, enfim, tudo que acontece bem antes da penetração. Portanto, grandes amantes não se preocupam com detalhes tão sem importância, como esse.
Quando se retira as inverdades, clareia-se o assunto, aprende-se a reconhecer o que é falso e o que é verdade, quando o assunto é sexo, há grande melhora na relação, já não somos assombrados por falsos monstros, reconhecendo que eles não passavam apenas de mitos sem fundamento. Separei algumas destas dúvidas, conheça a seguir.
Regina Racco
Autora de vários livros, dentre eles, O livro de Ouro do Pompoarismo, A Conquista do prazer Masculino e Pirulito e Outras Delícias, sexo para mestres na arte da sedução.
Dúvidas sobre o sexo
Questão 1: Masturbação faz mal a saúde.
Não há fundamento que a pratica da masturbação possa causar mal a saúde, prejudicar o desempenho sexual ou causar “cegueira” como pensava nossas avós. É claro que se há uma compulsão e a pessoa se masturba por tempo indefinido sem obter prazer, vale procurar o médico, não pela prática e sim pela compulsão o que pode caracterizar algum problema, mas de forma normal, não causa nenhum mal.
Questão 2: Ele ou ela reclama de dor de cabeça quando estão transando, será verdade ou desculpa?
Pode ser verdade sim. Existe uma dor de cabeça chamada cefaléia orgástica ou cefaléia copulogênica, (dor de cabeça forte associada a atividade sexual) que pode acometer tanto homens quanto mulheres, durante ou após o orgasmo. Na maioria das vezes é benigna, mas deve ser avaliada por um médico.
Questão 3. Pênis grande proporciona muito mais prazer
O tamanho do pênis não é nem nunca foi proporcional ao prazer, mesmo porque um pênis de trinta centímetros não encontrará um canal vaginal de igual tamanho, portanto, o mais provável é que a parceira sinta mais incômodo do que prazer.  Claro que se o homem tem um pênis deste tamanho, não precisará se privar da relação, mas terá que ser bem mais cuidadoso com a parceira e é claro que a excitação proporciona um aumento significativo neste canal (que se alonga) acomodando o pênis para melhor conforto na relação, portanto as preliminares neste caso são importantíssimas.
Questão 4: Mulher que retira útero e ovários fica impossibilitada para o sexo.
A retirada destes órgãos não interfere na libido e como disse na matéria em alguns casos, até ajudará, porém se houver dor ou incômodo após a cirurgia, a mulher deve procurar o médico para uma avaliação, vale observar possível ressecamento no canal e passar a usar um bom lubrificante.
Questão 5: Mulher que tem o canal forte obtêm/proporciona mais prazer
O canal forte além de manter a saúde íntima, facilita os orgasmos, proporcionando grande prazer ao parceiro. Com relação ao tamanho do pênis: Se for grande, ela conseguirá controlar em relação a dor na penetração, se o pênis for pequeno, o canal fortalecido, o acomodará perfeitamente, proporcionando igual prazer para ambos. O canal vaginal devidamente forte manterá a mulher ao longo dos anos, pronta para uma vida sexual sadia.
Questão 6: Falta de beijos atrapalha o prazer sexual
Verdade, a falta de beijos e carícias, demonstra que a intimidade está prejudicada, e pode atrapalhar a relação, pela diminuição da libido da mulher, principalmente, ocasionando  menor desejo de praticar o sexo. A intimidade é a ponte que leva o casal a realização sexual plena, se está vivendo algo assim, tente reverter a situação.
Questão 7: Ele falhou na relação, está impotente?
Falhar na relação é plenamente normal e neste caso a parceira pode ajudar bastante, não o cobrando e agindo naturalmente. O homem é bastante sensível a isso, até porque cresceu ouvindo que não poderia falhar jamais, o que é mito e se acreditado, poderá prejudicar bastante. Claro que vale a ponderação, se o fato se repetir por mais vezes, vale consultar um médico para avaliar as condições de saúde, mas jamais se deixar impressionar, ou a mente fará um estrago bem maior.
Questão 8: Transar menstruada faz mal
Não, é plenamente possível transar menstruada e só depende da sua vontade e do parceiro, porque poderá haver alguns inconvenientes, como o fluxo aumentar na hora, o canal está mais escorregadio, a cérvice mais baixa (o que pode causar alguma dor) etc… No caso da dor, que pode ocorrer ou não, basta pedir ao parceiro para tomar cuidado na penetração, evitando a colocação profunda. O fluxo é controlável com lençóis extras, e a maioria dos casais relata um intenso prazer, neste tipo de relação. Porque não experimentar?
Questão 9: Engolir esperma, é prejudicial a saúde?
O sexo oral pode ser perigoso se um dos parceiros possui alguma doença sexualmente transmissível (dsts) e neste caso, não somente engolir o esperma, mas transar sem camisinha é desaconselhável, mas se não há esse risco, não tem nenhum problema em engolir o esperma que, aliás, é rico em proteínas, vitaminas e sais minerais, além é claro, da forma como a mulher se sente a respeito. Se tiver nojo, é claro que não deve se forçar a fazê-lo, somente para agradar ao parceiro, mas talvez ajude saber que o esperma é um líquido bem mais limpo e seguro do que a própria água se não se souber a procedência da mesma.
Questão 10: Transar na gravidez é prejudicial ao bebê
Não. Isso foi mito durante muitos anos, mas não há nada contra a mulher manter a relação durante a gravidez, com exceção para o caso de sangramentos ou dores, o que claro, deverá ser avaliado pelo médico, mas em condições normais, a relação é aconselhável, pois manterá o casal mais próximo e cúmplice, durante esse período tão especial, não abram mão da intimidade, pelo contrário, essa é a hora de se manter ainda mais unidos de corpo e alma enquanto esperam a chegada do novo membro da família. 
Matéria originalmente publicada por tempo de Mulher/Msn

 

Anúncios