Calcinhas e cuecas, olho vivo nelas!

Curso de Pompoarismo Professora Regina Racco

Kit completo de pompoarismo da Professora Regina Racco, com acompanhamento gratuito durante todo o treinamento, pelo whatsapp 21-9-97792421 Treine com a presença da própria professora! Envio sem cobrança de frete apenas para dentro do Brasil.

R$270,00

Prepare-se para ler algo verdadeiramente incomum. Claro que quem me lê sabe que adoro meter a colher nos mais variados assuntos envolvendo sexualidade e relacionamentos alheios (como boa velha que sou)! Mas não é habitual se falar sobre as roupas íntimas de alguém. Um ou outro toque para dizer que dormir sem roupas faz bem e só, o que é verdade. O que tenho para falar com relação às roupas íntimas é importante, leve a sério pelo bem da sua saúde íntima. Com aquele ar inocente, saiba que nenhuma peça de roupa é capaz de os contaminar como elas! Sim, calcinhas e cuecas podem se transformar em agentes patológicos se não prestarmos atenção a elas.

Necessário trocá-las periodicamente. E não estou falando das trocas diárias, essas vocês sabem e quero crer que façam regularmente. Falo em fiscalizá-las bem de perto e ao sinal de que algo não vai bem, descarte-as.

Elas se contaminam e podem servir de veículo para contaminações recorrentes.

Tem mulher por aí que nem imagina que aquelas coceirinhas constantes podem ser essa tal contaminação. E falo em mulheres, porque pela sua condição anatômica, são mais exportas que os homens, o que não quer dizer que eles também não podem se contaminar, podem sim.

Acostumem-se a ao tirar a peça da gaveta, cheirá-la. Se o cheiro não for o de limpeza, lave novamente, seque-a ao sol ou em lugar bem arejado. Após isso, volte a cheirar e se persistir algum odor jogue fora, a dita peça está definitivamente contaminada!

Habituem-se a trocar a maioria das peças íntimas a cada seis meses, é um bom tempo para usar algo que fica em contato direto com a sua região íntima. E não tenha pena se ainda estão com boa aparência, neste caso, a aparência é o que menos importa! Cuidem-se!

Regina Racco

Matéria originalmente publicada no Jornal Expresso (Globo)

Dicas da matéria:

  1. Higiene diária
    Faça trocas diárias (homens também)! Afinal, essas peças estão em contato direto com a sua região mais sensível! Sujas, são verdadeiras bombas contaminadoras.
  2. Sinais de alerta
    Tirou a peça limpinha da gaveta e ela apresenta um odor diferente do esperado? Lave novamente, mas se persistir o odor estranho, jogue fora.
  3. Material
    Veja ao comprar se o material é mais natural que sintético. Os tecidos sintéticos podem causar alergias, além de não permitir boa ventilação, na região.
  4. Cuide-se
    Atitude como esta os farão economizar com remédios deixando-os livres do desconforto que causa uma infecção nesta região. Redobre a atenção se você já costuma sofrer com elas!